Será que os aplicativos me ouvem? Saiba como funciona a pesquisa por voz

A pesquisa por voz tem se tornado não só uma tendência, mas uma realidade. Vamos a um exemplo prático?

Sábado à noite. Você comenta com o seu amigo que está a fim de uma pizza bem saborosa. 5 minutos depois, o seu aplicativo de delivery envia uma mensagem personalizada com a seguinte mensagem: “Com vontade de pizza? Peça a sua e ganhe 10% de desconto”.

Espera aí. Será que aplicativo ouviu o que você estava falando na sua conversa particular? A dúvida fica no ar, mas você prefere acreditar que foi uma coincidência. Que volta a acontecer com frequência. Qual a razão para esse “fenômeno desconhecido”?

A explicação é simples: falta ler as entrelinhas dos termos de compromisso ao fazer o download de um aplicativo. Isso mesmo, busque na sua memória qual a última vez que você leu tudo que estava escrito em um contrato antes de baixar um app. Provavelmente nunca.

Não temos o hábito de prestar atenção em detalhes como esses, mas é nesse ponto que reside o problema.

Cláusulas que autorizam a pesquisa por voz

Dentro dessas cláusulas, é possível que você dê permissão (muitas vezes, sem saber) para que a empresa acesse suas fotos e microfone quando quiser!

“Alguns não precisam acessar o microfone, mas talvez os desenvolvedores estejam se antecipando a algum serviço que oferecerão no futuro, e por isso preferem solicitar a permissão desde o começo”, cita Bart de Boer, pesquisador do laboratório de Inteligência Artificial da Universidade Livre de Bruxelas, em uma reportagem de 2018 do jornal EL País.

A verdade é que faltam explicações sobre como essa tecnologia funciona. Não se sabe com precisão como é transformada a voz em mensagem, e se o interesse é puramente publicitário ou não.

Mas o importante é que, com o avanço das leis de proteção de dados ao redor do mundo, essas informações precisam ficar cada vez mais claras para os usuários.

É nesse momento que toda atenção é crucial: quanto mais objetiva a cláusula, mais fácil bloquear esse tipo de “invasão” de uma pesquisa por voz indesejada.

Eles estão nos vigiando…?

Não podemos delimitar esse pensamento apenas aos aplicativos. Quem nunca teve a Siri ou o Google Assistente respondendo a uma pergunta por pesquisa por voz que você fez sem querer, atire a primeira pedra.

Eles estão atentos, para “o bem e o mal”, o importante é sabermos utilizar a tecnologia e a inteligência artificial a nosso favor, sem prejudicar a nossa privacidade.

Isso significa que, não há motivo para pânico generalizado: é uma forma da publicidade, direta ou indiretamente, oferecer soluções personalizadas para as suas necessidades.

Leia também: Técnicas de SEO: Entenda como elas funcionam

Inteligência artificial e a pesquisa por voz

Destacando outro direcionamento do assunto, vamos falar sobre a pesquisa por voz como uma das grandes apostas para o futuro. As tecnologias que envolvem esse formato estão ficando cada vez mais avançadas e, consequentemente, mais rápidas e acessíveis.

Ao longo deste ano de 2020, a ComScore estima que 50% das buscas online serão feitas por meio da pesquisa por voz.

Através de um processamento de linguagem, a pesquisa é capaz de captar o que você fala e direcioná-lo para o buscador, sem ser necessário digitar qualquer palavra. Inclusive direcionando para o Google, que cada vez mais tenta entregar ao usuário resultados semânticos para os seus questionamentos.

E, além de prático, esse tipo de busca chegou para otimizar diversos processos. Isso porque está presente em diversos assistentes pessoais, como a Alexa, da Amazon, o que comprova como a tecnologia faz parte da IA e do IoT (Internet Of Things).

Uso de SEO

A pesquisa por voz também tem muito a “lucrar” com o SEO. Nesse formato, é proveitoso trabalhar palavras-chave longas e em forma de pergunta. A sacada é encontrar termos que o usuário poderia falar em sua busca.

É importante, também, apostar em uma linguagem natural, como em uma conversa. Isso torna muito mais fácil para o buscador encontrar o seu conteúdo e ranqueá-lo entre as primeiras posições.

Cada vez mais as ferramentas operam com taxa de erros menores, entregando ao usuário exatamente aquilo que ele procura.

Inclusão na tecnologia

Outro ponto positivo para a pesquisa por voz é a inclusão que é proporcionada para pessoas com deficiência. Disponibilizando uma melhor experiência ao usuário, além de uma usabilidade de alto nível e uma vida mais fácil graças ao uso da tecnologia.

E a acessibilidade vem de encontro, justamente, com as mudanças internas e externas que muitas empresas estão buscando promover para levar às pessoas para um mundo mais interativo e acessível a todos.

E você, costuma usar a pesquisa por voz?